Clique aqui para conhecer um pouco mais sobre a
proposta de trabalho do estúdio Tirititrán.

segunda-feira, 14 de abril de 2008

BaLLeT NaCioNaL de EsPaÑa no Brasil


O Ballet Nacional de Espanha passa por um novo período de criação, apresentando diferentes projetos sob a direção de José António, em sua segunda etapa à frente da companhia após ser nomeado pelo Ministério da Cultura em 2004. O BNE é de produção do Instituto Nacional das Artes cênicas e da Música (INAEM), uma das unidades de maior projeção internacional como embaixadora da cultura espanhola no mundo. Fundado pela Direção Geral de Teatro e Espetáculos do Ministério da Cultura em 1978, sob o nome de Ballet Nacional Espanhol, teve como primeiro diretor Antonio Gades (1978-1980). Desde então, o BNE foi regido por Antonio (Ruiz Soler) (1980-1983), María de Ávila (1983-1986), José Antonio (1986-1992), Aurora Pons, Nana Lorca e Victoria Eugenia (1993-1997), Aída Gómez (1998-2001) e Elvira Andrés (2001-2004).

Ao longo dos seus 30 anos de historia, a Compania interpretou, nos teatros mais prestigiosos do mundo, obras emblemáticas como “Medea” de José Granero, “Danza y Tronío”, de Mariemma, “Ritmos”, de Alberto Lorca, “Fandango de Soler”, de José Antonio, “El Sombrero de Tres Picos”, nas variações de Antonio e de José Antonio, “El concierto de Aranjuez”, de Pilar López, “Bodas de Sangre” e “Fuenteovejuna”, de Antonio Gades.

Na temporada atual, o BNE apresenta no seu programa as coreografias “La Leyenda”, “Aires de Villa y Corte”, “El Café de Chinitas”, “Golpes de la Vida” e “Elegía-Homenaje” (Homenagem a Antonio Ruiz Soler), criações de José Antonio. Além dessas coreografias, também é apresentado o programa Sevilha-Madrid-Sevilha, composto pelas obras “Caprichos”, de Fernando Romero, “Dualia”, de Rojas e Rodríguez e “Cambalache” de Antonio Canales.

O Ballet Nacional de Espanha tem obtido o reconhecimento internacional da crítica e do público por meio do recebimento de diversos prêmios. Dentre eles, destacam-se o Prêmio da Crítica ao Melhor Espetáculo Estrangeiro (1988), do Metropolitan de Nova Iorque; Prêmio da Crítica Japonesa (1991); Prêmio da Crítica ao Melhor Espetáculo (1994), no Teatro Bellas Artes do México; Prêmio do jornal El País ao espetáculo “Poeta”, em 1990, e os Prêmios da Crítica e do Público à coreografia “Fuenteovejuna”, de Antonio Gades, no VI Festival de Jerez, em 2002.

Referências na Internet:

- Ballet Nacional de España

Datas no Brasil:

- São Paulo: 28 e 29 de abril, Teatro Alfa às 21h.
- Rio de Janeiro: 1o de maio, Theatro Municipal, às 16:30h e às 20:30h.

Nenhum comentário: