Clique aqui para conhecer um pouco mais sobre a
proposta de trabalho do estúdio Tirititrán.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

ESeNCiA | 16 de dezembro





O Flamenco serve de ponte entre culturas porque é, essencialmente, aberto, popular, generoso e livre. É capaz de tocar o coração das pessoas. Fala de emoções universais e por isso pode ser compreendido no mundo todo.

Para essa montagem utilizamos uma imagem* de Goya em que três mulheres lavam roupa a beira do rio à sombra de uma árvore que não se vê. Por associação livre, cada uma destas três figuras conecta-se a um elemento que sustenta o Flamenco (o cante, o baile e o toque). Assim, o conteúdo das letras e os desenhos melódicos do cante ganham corpo com a guitarra flamenca e juntamente com o baile, passeiam pelas mais diversas emoções evidenciando suas formas e matizes.

Amor, paixão, desespero, raiva, angústia e medo. A roupa lavada à beira do rio é posta para coarar ao sol. Em seu curso, o rio leva embora toda a sujeira antes presa à trama do tecido. As águas da fé e da esperança são renovadas em seu leito.

A arte nos ajuda a remover da alma a sujeira do dia-a-dia. Com ela aprendemos um novo olhar sobre as coisas – a todo instante!





FICHA TÉCNICA

DIREÇÃO GERAL
manu ángel

DIREÇÃO MUSICAL
micael pancrácio

DIREÇÃO ARTÍSTICA
carol romano

CONCEPÇÃO CÊNICA
bárbara cólen, cristiano cunha e gabriela dominguez

REVISÃO DE TEXTOS
paula andrade

MÚSICA andré abi-saber e micael pancrácio

CANTE
carol romano, cristiano cunha e elisa maria

GUITARRA FLAMENCA
andré abi-saber e micael pancrácio

COREOGRAFIA
fábio rodriguez, manu ángel, paula andrade e talita sánchez

FIGURINO
manu ángel e paula andrade

EXECUÇÃO DE FIGURINO
gaída milagres, lunares, margareth da silva e riatitá.

ELENCO EM ORDEM ALFABÉTICA
alessandra presoti ivo, aline de almeida, ana clara rachid, ana flávia farnezi, ana luíza rachid, bárbara becker (convidada), bárbara cólen, carol romano, carolina coutinho, cris abreu, cristiano cunha, cristina oya, elisa maria, fabiana avelar, gabriela dominguez, hevilla souper, ida becker (convidada), isabel porto, jacqueline soares, lívia rosa, lya gomes (convidada), marcos fuentes, mariana zani, michelle falleiro, nathália de ávila, paula jimenez, priscila gazire e rita engler.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Turmas Regulares de Introdução ao Flamenco tem início em agosto!


O Tirititrán abre três novas turmas regulares de Introdução ao Flamenco este mês.

Como em todas as outras turmas já em andamento, no Tirititrán os alunos de nível básico também têm oportunidade de desfrutar de guitarra e cante ao vivo em seu ciclo de estudo, o que possibilita uma compreensão global da relação entre os três elementos que sustentam o Flamenco - cante, baile e guitarra.

Não espere pelo Reveillon 2013 para incluir a dança na sua vida! Escolha um dos horários* abaixo e comece já!

* Outros horários para nível básico poderão ser abertos de acordo com a demanda.


quinta-feira, 12 de julho de 2012

CuRsiLLo de InViERnO (Intro ao Flamenco)


Pensando em DANÇAR FLAMENCO? Comece nas FÉRIAS! Os cursos intensivos são uma ótima oportunidade para o corpo experimentar as cores de um novo caminho.

Alunos inscritos no curso de INTRODUÇÃO AO FLAMENCO - que acontece de 23 a 26 de julho, no Tirititrán - que efetuarem matrícula para uma turma regular, até último dia do CURSILLO, ganham 50% de desconto na taxa de matrícula e 10% de desconto na mensalidade de agosto.



sexta-feira, 6 de julho de 2012

TaBLaO FLaMeNCo com Talita Sánchez em BH (julho)


IMPERDÍVEL | Dia 27/07, às 21h30 | TABLAO FLAMENCO com Tali Sanchez (baile), Davi Caldeira (guitarra flamenca) e Carol Romano Fabrini (cante flamenco) no Espaço Gastronômico Pátio Espanhol (Av. Contorno, 4035 - São Lucas - BH).

A venda de mesas é feita exclusivamente no Tirititrán. Garanta já a sua!


QUEM É TALITA SÁNCHEZ?


Cursou Educaçao Física na Universidade do vale do Paraíba- UNIVAP, professora de balé clásico, iniciou seus estudos em dança flamenca aos 14 anos na escola Raies Danza Teatro, em São Paulo, onde estudou baile flamenco com Debora Nefussi e percussao flamenca (cajón) com Luciano Kathib.

Em 1998, foi morar em Madrid - Espanha , ingressou no Centro Flamenco de Danças Espanholas Amor de Dios, onde terminou sua formaçao profissional em dança flamenca tendo como principais Mestres, nomes como: la China, Cristóbal Reyes, Antonio Reyes, Manuel Reyes, Rafaela Carrasco, la Tati, Carmela Greco, la Talegona, la Tacha, Alfonso Losa, Nino de los Reyes, Belén Fernandez, Concha Jareño, David Paniagua, el Guito, la Truco, Inmaculada Ortega, Domingo Ortega, Pol Vaquero, Paco Romero (clásico español) e Concha Jareño. E em Sevilla estudou com os mestres Juana Amaya, el Torombo, Javier Baron, Carmen Cortés, Javier la Torre, Javier Cruz, Antonio Galicia (percusión) y Manolo Soler (percusión).

Sua atuaçao como professora e intérprete de flamenco começa em 1994, na Companhia Ana Guerrero. Suas principais atuações nesta companhia foram como solista e coreografa nos espectáculos: Imágenes Flamencas, Caminos, Imágenes, 4 Elementos e Un poquito de Compás.

Desde 1995 se dedica a ensinar o baile flamenco dentro e fora do Brasil, em cursos regulares e em workshops intensivos a partir de aulas de técnica e montagens coreográficas, sempre preocupando-se em difundir a arte flamenca na sua mais pura essência. Foi convidada a atuar como coreografa do grupo Zyryab dirigido por Deborah Nefussi e também convidada pelo guitarrista madrileño Augustin Carbonnel “El Bola” a atuar na Companhia Corazón Flamenco como solista junto al bailaor Miguel Alonso. Participou do Jenizaro Flamenco - Madrid, como solista, ao lado do cantor Salva Barrul, o guitarrista Yuri Cayres y o percusionista Guillermo Garcia, importantes nomes do flamenco atual. Atua junto a Isabel Soto, cantaora del Ballet Nacional de España. E em Madrid, desde 1999, atua en diversos tablados tais como, Cardamomo, Los Gabrieles, Sala Galileo Galilei, Arte Bar, El Cortijo, Los Cabales. Foi convidada para a Feria de Abril de la Rosas em Madrid acompanhando o cantor madrilenho Jose “el Duende”. Participa da Companhia Contrastes actuando por todo Sul de España e Portugal durante todo o ano de 2006; Participa do espectáculo de Belén Fernandez y Alfonso Losa pelo Festival Internacional de Flamenco São José dos Campos; Profesora e coreógrafa da Escuela Iberia Club - Japao, onde dançou em eventos na cidade de Fukuoka, Saga y Sasebo em 2005. Dançou junto ao bailarino Nino de los Reyes em turne pelo Brasil, culminando em uma apresentação no Festival Internacional de Flamenco São José dos Campos. No ano de 2008 integra a Companhia la Truco, participando do espectáculo Cinco Puntales, juntamente com artistas espanhois convidados como o cantaor Talegón de Córdoba y os guitarristas Antonio Españadero y Javier Conde.

Foi convidada pela espanhola Carmen la Talegona a participar de seu espectáculo Tablao Flamenco na turnê 2009. Em 2010 foi conviada pelo Instituto Cervantes para a turnê Guitarrisimo 2010 com o violonista Flavio Rodrigues e o cantor espanhol Pedro Obregón, pasando pela Bahia, Brasilia, Belo Horizonte, Sao Paulo, Rio de Janeiro e Florianopolis. Neste mesmo ano também foi convidada pelo Centro Cultural Tiempo Iberoamericano, no Japao a ministrar aulas, workshops y espetaculos durante todo o ano na cidade de Fukuoka. Participa como coreógrafa e solista del espectáculo Aire Gitano, para a turnê 2011 nas cidades de Fukuoka e Sendai, no Japao, atuando juntamente com bailarino espanhol Miguel Cañas no Tablao Miguel Cañas em Fukuoka Japao. E nesta mesma cidade, participou do Festival Isla de Salsa 2010 e montou o espetáculo As 4 Estacoes com todos os alunos da escola Tiempos Iberoamericando, realizando um trabalho de fusão entre flamenco e poesía japonesa o "haiku". Em 2011, monta o Espetáculo AMISTAD para a X Ediçao do Festival Internacional Flamenco Brasil, um trabalho desenvolvido com bailarinos do Brasil e músicos espanhois. Este projeto foi apresentado no Teatro Gazeta em Sao Paulo, no Instituto Cervantes em Brasília e No Teatro Municipal em Sao Jose dos Campos.

Talita através de estudos com a maestra "La Truco" e Miguel Cañas durante muitos anos na renomada escola Amor de Dios em Madrid, desenvolve uma aula de técnica e expressao Corporal totalmente voltada para o melhor entendimento da linguagem e consciencia da dança flamenca!

Como professora, ministrou cursos e workshops nos centros:

No Brasil: Raies Danza Teatro (Sao Paulo/Brasil), Centro de Arte e Danza Ana Guerrero y Talita Sánchez (SJC/Brasil), academia Ana Vilarón (SJC/ SP), Sesc (SJC/SP), Danza Flamenca (São Paulo/SP), Olé (Belo Horizonte/MG), Café Tablao (Campinas/SP), Centro Flamenco da Bahia (Salvador, Bahia), Academia Theresa Máximo (Rio de Janeiro/RJ), Escuela de Baile Flamenco Raphael Cortes (Brasilia/DF), Studio Flamenco Marilyn Mafra (Florianopolis/SC), Academia Flor de Lotus (Curitiba/PR), Dance Arte Ursula Correia (Sao Paulo/SP), Cia de Dança Ana Paula Minari (Londrina/PR), Studio Bailado (Rio de Janeiro/RJ), Musika Centro de Estudos (Goiania/GO), Capricho Espanhol (Brasília/DF), cia Michel Cassin (Londrina/PR), Embrujos de España (Campo Grande/MS), Centro Cultural Luna Danzas (Rio de Janeiro/RJ), A Su Salud (Sao Paulo/SP) e Tirititrán (Belo Horizonte/MG).

No Exterior: Iberia Club (Fukuoka/Japão), Iberia Club (Saga/ Japao), Iberia Club (Sasebo/Japao), Ballet Flamenco (Fuerteventura/Canarias), Nacho’s Escuela de Danza (Madrid/España), Centro Cultural Marques de Vadillo (Madrid/Espanha) e El Horno (Madrid/Espanha), Tiempo Iberoamericano (Fukuoka/ Japão).

Em 2002, em parceria com a bailarina Ana Guerrero, idealiza e realiza o Festival Internacional de Flamenco em São José dos Campos – Brasil. Actualmente, em sua 10°Edição, o Festival já recebeu pessoas de todo o pais de norte a sul , America latina, Estados Unidos e Espanha. Contou também com a participação de grandes nomes da cenário atual em dança flamenca como: Belén Fernandez, Alfonso Losa, Carmen la Talegona, la China, Talegón de Córdoba, David Paniagua, Nino de los Reyes, Companhia la Truco, Concha Jareño, Antonio Españadero, Flávio Rodriguez, Pedro Obregón, Jose Maya e Saul Quirós. Como Festival etinerante já passou pelas cidades como Campinas, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Sao Paulo. Depois de larga temporada no exterior, Talita retorna ao Brasil para continuar difunfindo a cultura Flamenca e nosso país.


QUEM É DAVI CALDEIRA? 

Davi Caldeira iniciou seus estudos de flamenco com o conceituado Guitarrista Fernando de la Rua. Participou de diversos workshops com grandes artistas pelo Instituto Cervantes (SP). Em Belo Horizonte, durante um ano, aprofundou-se como palmeiro estudando com grandes maestros do compás (de Sevilla a Morón). Desde então, acompanha renomados bailaores como Pol Vaquero, La Talegona, El Carpeta, Miguel Alonso e Rosa Jimenez, dentre outros. Atualmente, além de trabalhar com direção musical de espetáculos e atuar como guitarrista e percussionista, ministra cursos de flamenco pelo Brasil abordando linguagem, estrutura de baile, concepção ritmica e todos os elementos que definem esta arte.

QUEM É CAROL ROMANO?

Carol Romano começou seus estudos em Flamenco em 1992, no Centro de Cultura Flamenca – La Taberna em BH. Dançarina registrada no SATED-MG, em janeiro de 1995 esteve em Granada, Espanha, onde participou do curso de inverno da Escuela Flamenca Mariquilla com Tatiana Garrido. Entre 1996 e 1997 deu aulas de dança e integrou o Grupo Los Del Rocío, sob a direção de Fátima Carretero. Em 1999 participou da companhia de baile da Escuela Flamenca Gitana Mora, sob a direção de Ana Villamarin, onde também trabalhou como professora de dança flamenca para iniciantes. Participou de cursos com a bailarina Mila Conde na La Sala e com o bailarino Miguel Alonso . Atuou em diversos espetáculos de flamenco, entre eles Jaleos, Ayes y Taconeos (Companhia Gitana Mora – 1999) e La Pasión de Cristo- El Cristo de Los Gitanos (artista convidada na produção de Soleá Tablao Flamenco - 2005). Em 2009 inicia seu trabalho junto ao Espaço Compás, sob a direção da bailarina Renata Barbosa, e em 2010 com o Estúdio Tirititrán, de Manu Ángel. Participou de oficinas de cante flamenco com cantaores de atuação nacional e internacional como Diego Zarcón, Tiza Harbas e David Vásquez. Desde 1996 atua como cantora e atriz no grupo cênico-musical Voz & Companhia e 2010 marca sua estreia cantando flamenco com artistas de BH e de todo o Brasil.

domingo, 17 de junho de 2012

Toque | "TOC"

(Por DANIELA AVELAR)

Quando você entra para o flamenco - ou será que é o flamenco que entra em você? – é impossível que dois toques lhe passem impunes: o toque e o “TOC”. O primeiro é o toque do cajón, famoso instrumento percussivo, que atravessou as fronteiras peruanas para integrar-se à música flamenca. Seus timbres são exuberantes e o som ecoa dentro do peito. Encanta por conseguir juntar - com singular maestria - simplicidade e potência.


Em seguida, vem o "TOC" mesmo: Transtorno Obsessivo Compulsivo. E por lunares. Sim, aquelas bolinhas tão características dos anos 50 e usadas com muita propriedade e glamour pelas pin ups! A leveza sutil do erotismo realçada pela combinação fatal de dois ingredientes: ingenuidade e sensualidade. Dos anos 40, quem nunca ouviu "Polka Dots and Moonbeams", gravada por Sinatra? 


Nós – mulheres pertencentes ao universo flamenco – somos perseguidas por uma autêntica (e docemente justificável) compulsão pelos artigos de bola. Tem vestido, blusa, saia, camiseta... baby doll, sutiã, calcinha... As lingeries mais charmosas? As da série "lycra de bolinha com borda de rendinha". Até a peça mais blasè consegue adquirir um ar encantador quando pontuada pelo poá (do francês pois, adaptado para a língua portuguesa).
Necessaire, agenda, espelhinho, porta-absorvente e chaveirinho. Um mimo! Para os cabelos? Laços, fitas, flores, grampos, presilhas, gominhas... Quer enfeitar a casa? Xícara de café, pires, açucareiro e colherzinha... Tapete, almofada, abajour, toalha, roupa de cama... Tudo de bolinha! Com pouco dinheiro e alguma criatividade, pode-se ter acesso à uma infinidade de artigos...



Para realçar a beleza dos homens, nada como uma discreta e provocativa gravata de bolas. C’est vraiment très chic! Isso sem falar dos maravilhosos lenços de bolso e écharpes, outros dois clássicos toques da elegância masculina. Para os mais descolados, camisetas e underwears. Claro, de bolinha.


E para quem foi acometido pelo surto mas nunca parou para perguntar-se de onde vieram as tais bolinhas, fica a dica: sua origem é um grande mistério.

Historiadores espanhóis reclamam para si a paternidade. As bolas teriam surgido no início do século XIX, nos acampamentos dos gitanos andaluces. Tecidos de lunares usados para a confecção dos uniformes de trabalho, teriam como propósito homenagear a misteriosa afinidade entre eles (gitanos) e a lua.
Há quem acredite que as versáteis bolotas foram incorporadas da polca, dança alegre e descompromissada, que surgiu na região da Boêmia. Seus movimentos circulares e alegres, somados à descontração e prosperidade característicos da história americana do período pós segunda-guerra, teriam inspirado as famosas polka dots (bolinhas). E estas teriam se espalhado daí para o mundo...

Muito mais fascinante que sua origem? O fato de serem singularmente eternas.


DANIELA AVELAR é aluna do Tirititrán, amante das artes, de história, das línguas e colaboradora.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Cursos com Talita Sánchez em Julho


RECICLAGEM E APRIMORAMENTO TÉCNICO
Para professores e bailarinos
(nivel: avançado e inter 2)

Exercícios mais elaborados de técnica de corpo e pés. É parte deste programa a montagem de falseta (por seguiriya) e escobilla (por alegrias).

Este curso acontecerá nos dias:
28/07 (sábado) de 9h30 às 11h.
29/07 (domingo) de 9h30 às 11h.

Investimento:

R$120,00 (pode ser parcelado em até 3x com última parcela vencendo em 20/07).
OU
R$100,00 (à vista até 20/06).

---------------------------------

SIN FRONTERAS - BULERÍAS DE JEREZ
Para alunos que tenham familiaridade com compasso composto.
(nivel: inter 1 e 2)

Invista no seu repertório de chamadas, marcajes, recortes e remates. Entenda a linguagem e saiba como sobreviver a um "fin de fiesta".

Este curso acontecerá nos dias:
28/07 (sábado) de 11h30 às 13h.
29/07 (domingo) de 11h30 às 13h.

Investimento:

R$120,00 (pode ser parcelado em até 3x com última parcela vencendo em 20/07).
OU
R$100,00 (à vista até 20/06).

---------------------------------

TIENTOSPara alunos já iniciados no flamenco.
(nivel: iniciante 1 e 2)

Majestoso, sóbrio e dramático, o baile por tientos é apropriado para o desenvolvimento da expressão corporal. Apresenta elementos técnicos elaborados e ricos. O conteúdo das letras e a lentidão do compás pede movimentos longos, figuras contorcidas, desenhos precisos e intenções que parecem não se concretizar. Os sapateados, por sua vez, são fortes, ligeiros e precisos, o que torna o baile contrastante.

Este curso acontecerá nos dias:

28/07 (sábado) de 16h às 17h15.
29/07 (domingo) de 16h às 17h15.
30/07 (segunda) de 19h às 20h15.
31/07 (terça) de 19h às 20h14.

Investimento:

R$160,00 (pode ser parcelado em até 3x com última parcela vencendo em 20/07).
OU
R$145,00 (à vista até 20/06).

---------------------------------

SEGUIRIYA
Para alunos que tenham familiaridade com compasso composto.
(nivel: inter 1 e 2)

Sóbrio e severo é o baile por Seguiriya que, dentre os estilos jondos do flamenco, é o que melhor reflete a dor e o sofrimento em suas letras e em sua melodia.

28/07 (sábado) de 14h30 às 15h45.
29/07 (domingo) de 14h30 às 15h45.
30/07 (segunda) de20h30 às 21h45.
31/07 (terça) de 20h30 às 21h45.

Investimento:

R$160,00 (pode ser parcelado em até 3x com última parcela vencendo em 20/07).
OU
R$145,00 (à vista até 20/06).

Desvendando o Flamenco de uma vez por todas!


"DESVENDE O FLAMENCO DE UMA VEZ POR TODAS" é uma oficina mensal facilitada por Davi Caldeira (guitarrista flamenco e percussionista). Nesta oficina, que acontece sempre na última sexta do mês, às 19h30, no TIRITITRÁN, os alunos podem entender as sensações dos diversos estilos flamencos através da prática do ritmo num processo dinâmico e divertido. 


As aulas buscam desenvolver autonomia no baile e compreensão de todos os elementos de acompanhamento dentro do flamenco (palmas, cante, guitarra, taconeos e todas formas ritmicas de expressão). 


QUEM É DAVI CALDEIRA?

Davi caldeira iniciou seus estudos de flamenco com o conceituado Guitarrista Fernando delarua. Participou de diversos workshops com grandes artistas pelo instituto cervantes SP. Em Belo Horizonte durante um ano aprofundou-se como palmeiro estudando com grandes maestros do compa de Sevilla a Morón. Desde então, acompanha renomados bailaores como Pol Vaquero, La Talegona, El Carpeta, Miguel Alonso e Rosa Jimenez, dentre outros. Atualmente, além de trabalhar com direção musical de espetaculos e atuar como guitarrista e percussionista, ministra cursos de flamenco pelo Brasil abordando linguagem, estrutura de baile, concepção ritmica e todos os elementos que definem esta arte.

sábado, 7 de abril de 2012

MeU PRimEiRo BaiLe

(ou Sobre como o flamenco entrou em minha vida)
Por: Daniela Avelar


40 anos se passaram e lá estava eu, novamente às turras com a menina bailarina. Era preciso romper. Eu sabia. Subimos no tablado. Eu, a menina e o medo - outro velho companheiro. A menina insistia: “-Olha lá, heim? Tem que ser reto. Perfeito. Sem erro. Milimétrico. Se não for assim, não serve!” Seus incansáveis bordões congelavam o sopro tímido de coragem que minh’alma tentava exalar. Sim. A alma estava lá. Sempre esteve. Envolta em cobranças e culpas. Mascarada pelas confusões. Sofrida. Judiada. Abusada. Cansada. Mas presente.

O baile era por tangos. Homenagem a Pablo Ruiz Picasso. Movimento permanente. Versatilidade. Transgressão. Busca incessante de novas formas. Era preciso romper. Eu sabia. E ainda: eu iria dançar a fase rosa de Picasso. Aquilo pedia leveza, luminosidade, alegria. Em que recôndito tudo isso estaria? E foi assim que o flamenco entrou em minha vida. Sem pudor nem restrições. Rasgando o lacre que asfixiava o lá dentro. Enquanto eu sapateava, esmagava com força o muito daquele todo que me congelava. Surpresa. Meu coração batia. E eu sentia. Era hora. Deixar prá traz o desespero. A melancolia. O azul sofrido do artista. A mesma mão que pintara a dor e o abandono poderia pintar também a leveza, a delicadeza. E celebrar a vida.

Depois da fase rosa, o realismo. Desci do tablado. O momento fora único. Pleno. Indescritível. Mas a verdade me chamava. Havia muito trabalho pela frente. O medo havia se transformado em fumaça. A menina havia ficado para traz. Era preciso construir a mulher.

"Na realidade trabalha-se com poucas cores. O que dá a ilusão do seu número é serem postas no seu justo lugar." Picasso.

SOBRE O ARTISTA

Pablo Diego José Francisco de Paula Juan Nepomuceno María de los Remedios Cipriano de la Santíssima Trinidad Ruiz y Picasso, ou simplemente Pablo Picasso nasceu em Málaga, Espanha, em 25 de outubro de 1881 e morreu em Mougins, França, em 08 de abril de 1973. Foi pintor, desenhista, ceramista, escritor e escultor. Um dos grandes mestres da arte do século XX. Sua obra é grosseiramente classificada em seis períodos:

Período azul (1901 a 1904): obras sombrias em tons de azul e verde. A cegueira é tema recorrente. Retrata dor. Melancolia. Influenciada pelo suicídio de um grande amigo.

Período rosa (1904 a 1906): retorno do artista à alegria da vida. Cores: rosa, laranja e tons de vermelho. Saltimbancos e crianças. Retrata a paixão pelo circo. Influenciado por Fernande Olivier, seu primeiro grande amor.

Período africano (1907 a 1909): o artista se inspira em figuras da África.

Período cubista: as formas naturais foram alteradas para geométricas. Foi mais intenso entre 1907 e 1911, mas extendeu-se por toda a vida de Picasso.

Realismo (1914 a 1945): o artista se afasta um pouco do cubismo e foca na realidade da Primeira Guerra. Em 1937 pinta Guernica, considerado sua obra prima. Esta obra já pertence ao expressionismo e mostra a violência e o massacre sofridos pela população da cidade de Guernica, quando do bombardeio da antiga capital basca pelos aliados alemães de Franco, em abril de 1937.

(Guernica)

Na última fase de sua vida, aborda a alegria do circo, o teatro, as touradas e muitas passagens marcadas pelo erotismo.


(Daniela Avelar, aluna do estúdio Tirititrán e mulher em construção)

domingo, 18 de março de 2012

Flamenco e Ballet no Tirititran

Flamenco

El flamenco es uno de los claros ejemplos de que la unión de
culturas, de razas o de religiones puede crear un eco común.
(Maria Pagés, bailaora)

O flamenco fala de emoções universais e por isso pode ser entendido no mundo todo. É uma arte riquíssima que envolve canto, dança e música ao vivo, resultado de uma mistura de povos e de culturas que se consagrou ao longo dos séculos e, em 2010, foi reconhecida pela UNESCO como Patrimonio Imaterial da Humanidade.

(AULA EM TURMA REGULAR DE FLAMENCO)

Com mais de dez anos de experiência no flamenco em BH, e juntas no mercado como parceiras de trabalho há quatro anos, Manu Ángel e Paula Andrade tem desenvolvido um método particular de ensino que retoma os princípios originais do flamenco. Trazendo para a prática em sala de aula os três elementos primordiais do flamenco: o cante (voz), o toque (guitarra flamenca) e o baile (exercícios, improvisação e coreografias), Manu e Paula têm incorporado estas linguagens à rotina da escola: todas as turmas possuem acompanhamento semanal de guitarra ao vivo e todas as montagens são feitas incluindo cante e guitarra, além da incorporação de outros instrumentos ao vivo.
(MANU ÁNGEL E PAULA ANDRADE)

O ensino da dança flamenca no Tirititrán tem como foco a ampliação da consciência corporal global com exercícios específicos para mãos, braços, tronco, pernas e pés; o desenvolvimento do ritmo, da memória musical e da percussão corporal; a compreensão da estrutura de baile através da interpretação e contextualização do cante flamenco e da percepção do sentido do compasso além da montagem coreográfica e da prática da improvisação.

Para complementar o aprendizado, o estúdio promove diversos eventos onde os alunos têm a oportunidade de intensificar o contato com a cultura flamenca e compartilhar sua experiência com outros alunos, amigos e familiares.

(CURSO DE FÉRIAS . RITMO, ESTRUTURA E RECONHECIMENTO DE PALOS FLAMENCOS COM MICAEL PANCRÁCIO)

Ballet

O corpo diz o que as palavras não podem dizer.
(Martha Graham)

As aulas de Ballet no estúdio Tirititrán são preparadas e ministradas pela professora Cristina Oya buscando oferecer uma atividade física prazerosa que respeite a individualidade do aluno.

(CRISTINA OYA, PROFESSORA DE BALLET DO TIRITITRÁN)

Ballet Adulto

As aulas tem como objetivo o alcance do equilíbrio e da consciência corporal, o desenvolvimento da coordenação motora e o fortalecimento dos músculos sem encurtá-los.

(CURSO DE FÉRIAS . INTRODUÇÃO AO BALLET CLÁSSICO)

Baby Ballet
Iniciação à dança e socialização

(Para crianças a partir de 3 anos)

As aulas possuem caráter lúdico e dinâmico utilizando movimentos espontâneos infantis para trabalhar o auto-conhecimento, a musicalidade e noções de espaço e lateralidade.

Venha dançar no Tirititrán

Algumas turmas, voltadas para quem nunca dançou ou para quem teve contato pequeno com uma das modalidades e interrompeu as aulas, estão abertas para receber novos alunos em 2012.

Os horários para estas turmas são:

Flamenco: 2a - 10h45 às 12h15
Flamenco: 5a - 18h30 às 20h
Flamenco: Sábado - 12h30 às 14h

Para as turmas em andamento, consulte o quadro de horários.

Outras turmas podem ser abertas sob demanda!

Mais informações:
contato@tirititran.com.br
(31)9797-4293

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Verdiales e Rondeñas - Cantes de Málaga

(mapa de Andalucia, região sul da Espanha,
berço do Flamenco, com a região de Málaga em destaque)

Basicamente, os fandangos podem ser:

1. Locales ou Comarcales cujo representante mais conhecidos são os de Huelva e os Malagueños, dentre os quais incluem-se os Verdiales e as Rondeñas.

2. Personales (também chamados de Naturales ou Artísticos e que não passam de criações individuais de artistas flamencos em cima da forma tradicional do fandango.

Poveda, Cantes de Málaga.

Os fandangos mais antigos de que se tem notícia são, exatamente, os de Málaga, com suas formas tradicionais - os Verdiales e os Fandangos Abandolaos, de onde originaram-se as Rondeñas. Sendo que os Verdiales, de compasso ternário e bailáveis de natureza, são ainda mais antigos que os Abandolaos pois remetem à uma época anterior ao surgimento do Flamenco.

Seu acento tem uma certa relação com formas musicais mouras arcaicas, percebidas em algumas modalidades de baile e no característico acompanhamento com violinos, castanholas e panderetas (que acompanham alguns estilos locais de Verdiales). Mas acredita-se que essa relação só passou a existir depois de seu contato com o flamenco, assimilando dele algumas características. Por muito tempo, a idéia de que os Verdiales seriam uma espécie de fandango arábico-andaluz predominou. No entanto, a prenda mais característica das "Fiestas de Verdiales" - o sombrero de flores e laços - remetem a épocas pré-flamencas, anteriores à invasão árabe.

(prendas verdialeras)


(panda de verdiales)

A forma folclórica evoluiu pouco, mas deu lugar à uma forma flamenca, perdendo o acompanhamento tradicional das pandas, feito com diversos instrumentos (como violino, bandolim, platinellos e palillos), passando a ser feito somente à guitarra ("a bandola"). É daí que surgiu o termo "abandolao" que é aplicado a alguns outros estilos de cante.

♫ Enfermo estoy yo de amores
y vivo crucificao
me sonríen nuevas flores
y no las quiero tocar
por no manchar sus colores ♫

Curiosade: O termo "verdiales" remete à zona "olivaneira" onde é comum o cultivo de uma espécie de azeitona denominada "verdial" que não perde a sua coloração esverdeada nem mesmo quando está madura.

A Fiesta de Verdiales tem raizes muito profundas na cultura malagueña. As pandas, com trajes típicos verdialeiros, seus cantes e seus bailes são fruto de um contexto cultural específico onde foram forjadas e desenvolvidas formas concretas de representação ligadas à estes lugares, mostrando a forma de vida nestes terrenos. Por este motivo, desde 2009 a Fiesta de Verdiales está em processo de ser declarada Bem de Interesse Cultural, na categoria "Atividade de Interesse Etnológico" em vários municípios da província de Málaga. A Festa maior dos Verdiales é celebrada todos os anos, no dia 28 de dezembro, dia dos Santos Inocentes.


Ao contrário de outras manifestações artísticas andaluzas, que perderam sua identidade ao deslocarem-se de seu contexto cultural para academizar-se, os Verdiales sobreviveram às sucessivas colonizações culturais que, uma após a outra, que foram aniquilando gradualmente diversos signos de identidade serranos e costeiros de Málaga e prosperam, como os vinhos, às passas, os povoados brancos de cal das montanhas, sendo transmitidos de geração a geração de maneira ininterrupta até os dias atuais. É uma manifestação genuína e rara de um folclore vivo.


A Rondeña é um fandango local típico e muito antigo que se adaptou bem ao terreno e ao estilo de vida campesino da região malagueña de Ronda. Pertenceu ao cancioneiro popular andaluz antes de ser "aflamencada". É proveniente dos cantes "abandolaos" (devido ao seu acompanhamento com guitarra) e teve significativa popularidade durante a primeira metade do século XIX, sendo citada por diversos viajantes e fazendo parte do repertório de diversos cantaores desta época. Sua propagação no território andaluz foi intensa e por toda a região sul da Espanha cantava-se por Rondeñas.

As Rondeñas perderam um pouco do ritmo do Verdial, comportando-se como cante mais sóbrio e agreste. Há estudiosos que consideram que a Rondeña nasce como consequência do traslado dos camponeses à cidade, fazendo uma ponte entre os Verdiales e as Malagueñas.

É um cante para bailar. Suas coplas são compostas por quatro versos octosílabos que acabam ganhando mais um por repetição do segundo. Também são encontradas coplas de cinco versos (neste caso, não há necessidade de repetição de nenhum deles).

♫ Después de haberme llevao
toa una noche de jarana
me vengo a purificar
debajo de tu ventana
como si fuera un altar ♫



(Projeto Conexão Espanha, do Rio de Janeiro,
com coreografia de Inmaculada Ortega, Rondeña)



(Rondeña)

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

HoRáRioS 2012

Clique na imagem para ampliar.


Os horários e conteúdos definidos para as aulas e montagens coreográficas podem ser alterados de acordo com a necessidade e/ou demanda do estúdio Tirititrán. Caso ocorram, os alunos devidamente matriculados serão informados sobre as alterações no quadro e no programa. Veículos digitais (Blog, Twitter e Facebook) serão atualizados tão logo seja possível.

domingo, 8 de janeiro de 2012

CuRsiLLoS de VeRaNo jan/2012


O estúdio Tirititrán dá boas vindas a 2012 com os cursos intensivos de verão.

Para quem nunca dançou e deseja conhecer, na prática, um pouco mais sobre o Flamenco esse tipo de curso é ideal.

Para quem já dança, os Cursillos de Verano são uma ótima maneira de ter contato com conteúdos diferentes (de técnica e baile) e não ficar parado aguardando o início dos cursos regulares.

Os Cursillos de Verano do Tirititrán terão início no dia 16/01/2012. O aluno que concluir a carga horária total do(s) Cursillo(s) em que se inscrever receberá material de referência, certificado de conclusão.

O estúdio Tirititrán também preparou, para esta oportunidade, três super promoções:

• Ganhe, por CADA ALUNO indicado para o Cursillo INTRO AO FLAMENCO, 10%OFF em um de seus Cursillos, no Tirititrán! (*). Este desconto é cumulativo.
• Ganhe 10%OFF se fizer sua inscrição em mais de um Cursillo (*). Desconto não cumulativo.
• Faça o Cursillo de INTRO AO FLAMENCO e ganhe 50% de desconto na sua TAXA DE MATRÍCULA para Cursos Regulares, que têm início em fevereiro/2012 (*). Desconto não cumulativo.

Não deixe para fazer sua inscrição na última hora.
São apenas 6 vagas por Cursillo e é bom garantir logo a sua!


(*)
• Descontos válidos para inscrições antecipadas
(pessoais e indicados).
• Os descontos são pessoais e intransferíveis.
• O unico desconto cumulativo é aquele por indicação de alunos para o Cursilo INTRO AO FLAMENCO que acontece nos dias 25, 26, 30 e 31 de janeiro, às 19h.
• Se o aluno participar de mais de uma condição de desconto, permanecerá o maior
valor.
• ATENÇÃO: O Cursillo "Técnicas de Ballet Clássico" não participa dos descontos.